Recentemente, em meados de 2014, deu-se a visita de um profissional, com uma história parecida com a de milhares de profissionais maduros  na mesma empresa. Após quase 30 anos numa empresa, era a figura de alguém com energia reduzida, quase um resto…

A conhecida técnica adotada para tirara energia de um profissional, que por anos lhe fora útil, muito útil, se repetia! Frita-se o antigo funcionário, com retirada gradativa de suas responsabilidade, deixando-o sem condições emocionais,  sugerindo-lhe, indiretamente, demitir-se… sem direito aos adicionais da legislação.

Durante alguns meses, semanalmente, discutíamos esse momento difícil por que ele passava, estimulando-o a achar forças para superar a rejeição e se fortalecer com base em seus valores. Foi uma tarefa compartilhada sustentada por muitas reflexões até que ele descobriu a possibilidade de voltar a ser protagonista! Acordou, enfim, e viu espaço para ir em frente, com desafios novos! A vida ainda lhe reservava oportunidade e tempo para ele experimentar outros modos de viver! Fortalecer-se; renovar-se e descobrir oportunidades, onde antes ele via dificuldades! Ainda poderia ter chance de contribuir e de se sentir útil! Entendeu ser possível reassumir a gestão de sua vida, livrando-se das garras de um Diretor com “panca” de dono e de dono de tudo, seu senhor!

Hoje, renovado, mais amadurecido, está feliz como Consultor na sua área de domínio. Sua antiga empresa teme que ele leve para sua nova atividade  as tecnologias lá desenvolvidas por ele nos seus 30 anos de trabalho! Quem diria que ele, de ameaçado, pudesse ser visto como ameaçador! Ele, entretanto, disse evitar revanche, nem reconhecimento tardio, apenas deseja mesmo viver e desfrutar. Ser feliz mais uma vez, mesmo que a remuneração em razão de uma jornada menor de trabalho tenha se reduzido! Ele nem ansiava por manter o salário recebido, pois tinha sua vida econômica  equacionada, na verdade almejava o que deseja está tendo em dobro: respeito, reconhecimento e paz!